2020

De 25 de Julho a 24 de Outubro de 2020
Galeria Castelo de Mértola

Na pintura de Guilherme Parente há qualquer coisa de um mundo onírico muito discreto que de algum modo nos informa, e fá-lo com surpreendente eficácia, acerca de algo que já se passou… Quando e como, para cada um, sua verdade, pois
não há certezas rigorosas nas recordações daquilo que apenas sonhámos.
São histórias contadas e discutidas pelas cores, algo que nunca se presta a
ser apregoado ou garantido e apenas se aviva através de relembranças ou reminiscências.
Cada um que puxe pela memória, se acaso quiser conhecer os enredos
que estão por detrás de uma espécie de neblina, pois recordar pode ser uma coisa
doce, desde que não se exijam provas cabais de veracidade acerca do que se terá
passado na realidade.
São histórias de crianças contadas aos adultos, para que estes possam
adormecer na paz das boas incertezas. E as brisas visuais que envolvem as telas
trazem e levam, sempre suavemente, uma suspeita de música, talvez de Ravel,
que nunca foi impressionista, tal como o Guilherme o não é...
E porque a realidade é tantas vezes sufocante, há que dar-lhe sempre, sem
grandes agitações a respiração necessária.
Se a pintura de Guilherme Parente pudesse transformar-se em música, seria
a crisálida de onde veríamos sair uma sarabanda, dança suave e pacificadora.
António Victorino d’Almeida
Junho de 2020

https://www.cm-mertola.pt/municipio/comunicacao-municipal/noticias/item/3830-galeria-do-castelo-recebe-exposicao-a-porta-do-mar-do-pintor-guilherme-parente

visualize as obras patentes de Guilherme Parente, 2020, ,